RSS

A vida intra uterina e o Espírito

13 jun

 

Na vida embrionária (intra uterina) enquanto ocorre o desenvolvimento do corpo físico, o Espírito, ser pré-existente que começa o processo de ligação ao corpo em formação, não tem plena consciência da situação, mas as experiências que se passam nesse período ficam marcadas e são importantes na vida futura.

A reencarnação é resultado de um cuidadoso planejamento elaborado e conduzido pelos Espíritos Superiores onde, na própria fecundação, há a seleção do espermatozoide mais apropriado para as experiências daquele Espírito que retorna à matéria, fruto desse projeto.

Hoje a moderna ciência confirma que não é o gameta masculino mais rápido, nem o mais qualificado, nem o primeiro que chega ao óvulo feminino que rompe a sua membrana e o fertiliza, mas aquele que é “energeticamente compatível”. Isso ocorre porque é nesse momento que são determinadas as características genéticas e hereditárias necessárias ao aprendizado do ser que renasce.

No momento da fecundação, o Espírito que já se aproximava fluidicamente da futura mamãe agora começa seu processo físico reencarnatório. A energia vital do Espírito vai se acoplando a cada célula multiplicada a partir do zigoto, dando-lhe vida e direcionamento no desenvolvimento do corpo físico do feto.

O pleno êxito da gestação depende, além da condição biológica favorável, mais especialmente do perfeito acoplamento e aceitação do Espírito ao processo. Se alguma dessas condições não está a contento, poderá ocorrer o abortamento espontâneo.

Durante essa etapa o Espírito fica, de certa forma, inconsciente porque o órgão de manifestação dessa consciência (o cérebro) está em processo de formação. Mas, apesar disso, os fatos que ocorrem, as situações familiares, o estado psicológico da mãe, os estresses, as preocupações, tanto quanto as alegrias e o bem-estar provocam profundas repercussões no Espírito, podendo afetá-lo durante toda a sua vida.

Da mesma forma, o Espírito que se liga ao embrião também provoca reflexos na mãe gestante. As alterações de humor, desejos incoerentes e pensamentos conflitantes podem ser resultados da influência do Espírito que, atuando fluidicamente sobre a mãe, transformam-na em uma espécie de “médium” dele.

Podemos citar, como exemplo, a aversão repentina que algumas gestantes passam a ter de seus maridos, em especial, no início da gravidez. Em alguns casos, justifica-se essa atitude pela vinda de um Espírito antagônico ao próprio pai e que vem justamente para o reajustamento das animosidades. Finda a gestação ou até antes disso, quando se equilibram as emoções, os sentimentos do casal retornam ao nível normal.

É importante lembrar que todos já tiveram muitas experiências e cada uma delas deixou marcas profundas. Muitas são perceptíveis como o conhecimento inato, as experiências marcantes, os sentimentos, as tendências adquiridas, as emoções que surgem, os traumas e temores que afloram desde tenra idade.

Tudo isso demonstra a imensa responsabilidade dos pais frente à alma que reencarna sob sua égide. Esta programação se inicia no plano espiritual onde há a preparação emocional dos pais e do filho, o planejamento familiar e conscientização das provas que terão que passar no mundo físico.

Uma gestação emocionalmente tranquila, as conversas serenas dos pais com o bebê ainda no ventre, a manutenção de uma vida saudável à gestante, com uma alimentação equilibrada e sem substancias nocivas, bem como a presença amorosa do pai, proporcionando uma atmosfera harmônica ao lar, são fatores de profunda importância para o desenvolvimento físico, mental e emocional do bebê e, consequentemente, uma vida mais equilibrada e feliz ao ser que retorna à Terra com propósitos evolutivos.

 

Texto compilado de Luís Roberto Scholl.

Fonte: Jornal Ramatis 

Anúncios
 

3 Respostas para “A vida intra uterina e o Espírito

  1. Carla Maria Alves Pontes

    13/06/2014 at 16:03

    Mto bom e esclarecedor. Agradecida, agradecida, agradecida.

     
  2. Jussara Colares Gomes

    13/06/2014 at 17:54

    EXCELENTE ESTE ARTIGO É MUITO ESCLARECEDOR DE GRANDE VALIA DEIXAREI AQUI TAMBÉM UM COMENTÁRIO PARA AJUDAR A MAMÃE GRAVIDAS É OS PAIS TAMBÉM, DEVEM DAR AMOR AOS SEUS FILHOS DESDE A GESTAÇÃO, FAZENDO CARINHO NA BARRIGA, CONVERSANDO COM ELE, BRINCANDO COM ELE. FUTURAMENTE ELE SERÁ UMA CRIANÇA CARINHOSA, DÓCIL E HARMÔNICA AO LAR. TEM UMA IMPORTÂNCIA FUNDAMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO FÍSICO, MENTAL É EMOCIONAL PARA O BEBÊ. APÓS UM MÊS DE NASCIDO VOCÊ PODE TAMBÉM INICIAR A SHANTALA: UMA FORMA DE TRANSMITIR HARMONIA, SEGURANÇA E SAÚDE PARA O BEBÊ COM MUITO AMOR!!! A SHANTALA É UMA MASSAGEM MILENAR INDIANA. MUITO MAIS QUE UMA SIMPLES MASSAGEM NOS PEQUENOS, A SHANTALA FORNECE LAÇOS AFETIVOS Entre PAIS E FILHOS DA EQUILÍBRIO EMOCIONAL À CRIANÇA E AINDA PREVINE DISFUNÇÕES .Espero ter ajudado! GRATIDÃO,GRATIDÃO,GRATIDÃO!!!

     
  3. maria das graças

    17/07/2014 at 01:31

    Texto maravilhoso e muito esclarecedor,pena que só tenhamos conhecimento muitos anos depois de termos casado e gerado filhos.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: