RSS

Arquivo da categoria: Uncategorized

SEMANA SANTA – O QUE ACONTECEU COM JESUS DIA A DIA

Resultado de imagem para jesus  e Maria no calvario
Colaboração: JOÃO AUGUSTO DE FARIASCoordenador do Setor Juventude, na Arquidiocese de Florianópolis

Para o Cristianismo, a  Semana Santa é a ocasião em que é celebrada a Paixão de Cristo, sua morte e ressurreição. Pelo que se tem conhecimento, a primeira celebração cristã da Semana Santa ocorreu no ano de 1682. Foi por meio do Concílio de Niceia, advinda do Papa Silvestre I, onde os ensinamentos da doutrina católica tornam-na como religião oficial do Império Romano.

O Concílio de Niceia determinava que a Semana Santa fosse constituída de oito dias. Seu início se deu no Domingo de Ramos, através da entrada do Rei, do Messias, na cidade de Jerusalém, para comemorar a Páscoa Judaica. Na segunda-feira seguinte foi o dia em que Maria ungiu Cristo. Na terça-feira, foi o dia em que a figueira foi amaldiçoada. A quarta-feira é conhecida como o dia das trevas. A quinta-feira foi o dia da última ceia com seus apóstolos, mais conhecida como Sêder de Pessach. A sexta-feira foi o dia do seu sofrimento, sua crucificação. Sábado é conhecido como o dia da oração e do jejum, onde os cristãos choram pela morte de Jesus. E, finalmente, o Domingo de Páscoa, o dia em que ressuscitou e encheu a humanidade de esperança e  de vida eterna.

Resumo da Semana Santa – 8 dias

  • Dia 1 (domingo) – Domingo de Ramos
  • Dia 2 (segunda-feira) – Jesus é ungido por Maria
  • Dia 3 (terça-feira) – Jesus amaldiçoa uma figueira
  • Dia 4 (quarta-feira) – Dia das Trevas
  • Dia 5 (quinta-feira) – Dia da Última Ceia
  • Dia 6 (sexta-feira) –  Crucificação de Cristo
  • Dia 7 (sábado) – Sábado de Vigília
  • Dia 8 (domingo) – Ressurreição de Cristo

Os dias da Semana Santa (Passo a Passo)

A seguir, detalhamos os acontecimentos diários da Semana Santa.

 

Domingo de Ramos – Dia 1

Domingo de Ramos – Jesus é saudado pelo povo de Jerusalém, após o jejum de 40 dias no deserto

O Domingo de Ramos abre solenemente a Semana Santa com a entrada de Jesus em Jerusalém. Jesus é recebido em Jerusalém como um rei, mas os mesmos que o receberam com festa O condenarão à morte.Jesus é recebido com ramos de palmeiras.

Este domingo é chamado assim porque o povo cortou ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passava montado num jumento. Com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus”, “Hosana ao Filho de Davi”, “Salve o Messias”… E assim, Jesus entra triunfante em Jerusalém despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder. Começa então uma trama para condenar Jesus à morte e morte de cruz.

O Domingo de Ramos também é lembrado como o dia em que Jesus foi recebido com festa em Jerusalém, depois de ter passado 40 dias de jejum e tentação, sozinho no deserto.

Resultado de imagem para jesus  rumo ao calvario

Segunda-Feira Santa – Dia 2

É o segundo dia da Semana Santa. Onde o Nosso Senhor dos Passos começa sua caminhada rumo ao calvário.

Na Segunda-feira Santa é o dia que contemplamos a caminhada do Nosso Senhor dos Passos rumo ao calvário. Nosso Senhor dos Passos é uma invocação de Jesus Cristo e uma devoção especial na Igreja Católica. Essa procissão faz memória ao trajeto percorrido por Jesus Cristo desde sua condenação à morte no pretório até o seu sepultamento, após ter sido crucificado no Calvário.

A procissão dos Passos, tradição implantada em Portugal pelos Franciscanos ao longo do século XVI, é uma espécie de repetição do caminho de Jesus, desde o Pretório até ao Calvário.

Trata-se de uma reconstituição das ruas de Jerusalém, uma Via Sacra mais imponente e com forte intensidade dramática, em que o próprio Cristo caminha com os devotos que se mantém hoje como catequese viva e apelo profundo à conversão.

O Senhor dos Passos, levando a cruz às costas, atravessa as ruas, como outrora percorreu as de Jerusalém. No meio do percurso dá-se o Encontro de Jesus com a sua Mãe, a “Senhora das Dores”, um dos momentos centrais do cortejo.

Em muitos lugares, a procissão inicia-se com o Sermão do Pretório e termina com o Sermão do Calvário. O figurado processional depende das tradições locais, mas geralmente recorda passagens  evangélicas da Paixão, trechos do profeta Isaías, e as personagens que marcaram a passagem terrena do Messias. Os penitentes também estão presentes.

Resultado de imagem para figueira e jesus

Terça-Feira Santa – Dia 3

É o terceiro dia da Semana Santa, em que com grande tristeza, Jesus anuncia a sua morte, causando grande sofrimento aos seus discípulos. Anuncia também a traição, e indica o traidor, beijando Judas.

Com isto Jesus, manifesta em pleno o Seu amor por todos nós, e consciente aceita o destino que O aguarda, como forma de mostrar ao mundo a glória de Deus, e assim, para que a Sua salvação chegue até aos últimos confins da terra.

A terça-feira também é conhecido pela parábola em que Jesus amaldiçoa uma figueira.

 Por que a figueira foi amaldiçoada?

“Ora, de manhã, ao voltar à cidade, teve fome; e, avistando uma figueira à beira do caminho, dela se aproximou, e não achou nela senão folhas somente; e disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti. E a figueira secou imediatamente. Quando os discípulos viram isso, perguntaram admirados: Como é que imediatamente secou a figueira?” (Mt 21.18-20)

Jesus quis apenas ensinar a seus Apóstolos que Ele tinha poder de exterminar seus inimigos, se o quisesse. Estava Jesus nos últimos dias antes de sua Paixão terrível, e Ele queria deixar claro aos seus discípulos que Ele tinha poder infinito, e que só morreria porque aceitava morrer por nós e por nossos pecados.

Toda figueira existe para produzir figos, para nos dar sombra, para embelezar o mundo. A figueira que Cristo fez secar foi usado por Ele para nos ensinar.

Essa figueira foi usada para um fim bem mais elevado do que dar figos para serem mastigados e digeridos. Cristo a utilizou pra nos ensinar como Ele poderia ter exterminado seus inimigos fariseus se assim desejasse. Mostrou também que Israel era uma Nação sem frutos de arrependimento. Deste modo aprendemos muito com essa lição imprescindível!

 Imagem relacionada

Quarta-Feira Santa – Dia 4

É o quarto dia da Semana Santa. Encerra-se na Quarta-feira Santa o período de Quaresma. Em Algumas Igrejas celebra-se neste dia a piedosa procissão do encontro de Nosso Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores. Ainda há igrejas que neste dia celebra o Ofício das Trevas, lembrando que o mundo já está em trevas devido à proximidade da Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Algumas igrejas ainda celebram o Ofício das Trevas (em latim, Tenebrae, que significa escuridão). Na cerimônia, sempre noturna, recitam-se salmos penitenciais e de lamentação à luz de um candelabro com quinze velas, que vão sendo apagadas a cada leitura até que a igreja fique em total escuridão.

O ritual simboliza o luto e a escuridão que tomaram a Terra após a morte de Cristo. As velas são uma metáfora. As velas sendo apagadas representam os discípulos que, um a um, abandonaram Cristo durante sua Paixão.

Ao final das leituras, que coincide com o apagar da última vela, os oradores fecham o livro com um estrépito, simbolizando o terremoto que ocorreu no momento em que Jesus entregou seu espírito aos céus.

Considerado um dos mais belos rituais da Igreja Católica, o Ofício das Trevas também pode ser celebrado na Quinta ou na Sexta-Feira Santa.

Quinta-Feira da Ceia – Dia 5

É o quinto dia da Semana Santa. Neste dia é relembrada especialmente a Última Ceia.

É realizada nas catedrais diocesanas, a Missa dos Santos Óleos, onde o Bispo diocesano abençoa o óleo dos Catecúmenos, o óleo dos Enfermos e consagra o óleo do Crisma que será usado por todas as paróquias de sua diocese durante um ano até a próxima quinta-feira Santa. Vale ressaltar a curiosidade de que se houver sobras do óleo do ano anterior, esta sobra é queimada.

Para a consagração do Crisma, o Bispo pede a Jesus que envie o Espírito Santo Paráclito, para que torne o óleo santo e que todas as pessoas ungidas com ele se tornem “soldados de Cristo”.

Nesta missa, os bispos diocesanos tem também a oportunidade de celebrar com seu clero particular, e em comunhão com todo o mundo, a instituição do sacerdócio.

À Tarde, após o pôr-do-sol, é celebrado a Missa de Lava Pés, onde se relembra o gesto de humildade que Jesus realizou lavando os pés dos seus doze discípulos e comendo com eles a ceia derradeira. É neste momento que Judas Iscariotes sai correndo e vai entregar Jesus por trinta moedas de prata.

É nesta noite em que Jesus é preso, interrogado e no amanhecer da sexta-feira açoitado e condenado.

A igreja fica em vigília ao Santíssimo. relembrando as sofrimentos começados por Jesus nesta noite. A igreja já se reveste de luto e tristeza desnudando os altares, quando é retirado todos os enfeites, toalhas, flores, velas, tudo para simbolizar que Jesus já está preso e consciente do que vai acontecer.

A igreja fica em vigília de oração, relembrando as sofrimentos começados por Jesus nesta noite. Os templos se revestem de luto e tristeza, desnudando os altares, retirando todos os enfeites, toalhas, flores, velas, tudo para simbolizar que Jesus já está preso e consciente do que vai acontecer. O Santíssimo Sacramento também é deslocado para um lugar a parte, sem acesso dos fiéis, fazendo memória à morte de Jesus.

Sexta-Feira Santa ou Sexta-Feira da Paixão – Dia 6

Este é o momento onde a Igreja recorda a Morte do Salvador. É o único dia que não se celebra a Missa e não há consagração das hóstias.

É celebrado a Solene Ação Litúrgica da Paixão e Adoração da Cruz, onde a equipe de celebração adentra a Igreja em silêncio, e o padre se prostrando em frente ao altar (que simboliza o próprio Cristo, sendo ali o local onde o Cordeiro é imolado), em sinal de humildade e de tristeza.

É realizada a narrativa da Paixão, que narra os acontecimentos desde quando Jesus foi interrogado, a Oração Universal, que reza pelos que não creem e Deus e em Cristo, pelos Judeus, pelos poderes públicos, dentre outros, e a Adoração da Cruz.

O Evangelho da Paixão, é narrado, contando todos os acontecimentos desde quando Jesus foi interrogado até seu sepultamento; após a homilia segue a Oração Universal, na qual reza-se pelos que não creem em Deus, e em Cristo, pelos Judeus, pelos poderes públicos, dentre outros. Segue a celebração com a Adoração da Cruz, onde todos os fiéis são convidados à reverência pessoal através do ósculo; após o rito da comunhão, a celebração encerra-se em silêncio, sem bênção final.

À noite, tradicionalmente é realizada a Procissão do Enterro. Algumas Igrejas relembram as sete dores de Maria e encenam a descida da Cruz.

Nesta noite, é celebrada a Vigília Pascal, a vigília de todas as vigílias. Nela acontece a benção do fogo novo, a Proclamação da Páscoa e a Renovação das Promessas do Batismo. Com o fogo novo se acende o Círio Pascal, que representa a vida nova em Jesus Cristo. É a única celebração, em que a Igreja recomenda, durante todo o ano litúrgico, que as luzes da Igreja estejam apagadas.

Sábado da Vigília ou Sábado da Aleluia – Dia 7

É o dia que antecede a ressurreição de Jesus Cristo, dia dedicado a oração junto ao túmulo do Senhor Morto.

Nesta noite, é celebrada a Vigília Pascal, a vigília de todas as vigílias. Nela acontece a benção do fogo novo, a Proclamação da Páscoa e a Renovação das Promessas do Batismo. Com o fogo novo se acende o Círio Pascal, que representa a vida nova em Jesus Cristo.

“Durante o Sábado santo a Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua paixão e sua morte, sua descida à mansão dos mortos e esperando na oração e no jejum sua ressurreição (Circ 73).

No dia do silêncio: a comunidade cristã vela junto ao sepulcro. Calam os sinos e os instrumentos. É ensaiado o aleluia, mas em voz baixa. É o dia para aprofundar. Para contemplar. O altar está despojado. O sacrário aberto e vazio.

A única referência bíblica ao que aconteceu no sábado entre a morte e a ressurreição de Jesus é encontrada em Mateus 27:62-66.

Após o pôr do sol no sábado – no fim do sábado dos judeus – os sumos sacerdotes e os fariseus foram a Pilatos e pediram que um guarda ficasse de plantão no túmulo de Jesus para prevenir que os discípulos removessem o corpo.

Ele se lembraram de Jesus dizendo que Ele iria ressuscitar em três dias (João 2:19-21) e queriam fazer tudo o que podiam para impedir isso.

Sabemos por meio de outras narrativas que os guardas romanos foram insuficientes para impedir a ressurreição e aqueles que retornaram ao túmulo no domingo de manhã o encontraram vazio. O Senhor tinha ressuscitado.

Domingo de Páscoa – Dia 8

É o dia da ressurreição de Jesus, e a comemorações mais importantes do cristianismo, que celebra a vida, o amor e a misericórdia de Deus.

Este é o último dia da Semana Santa. A ressurreição de Jesus é um fato de importância monumental. Jesus é a única pessoa que passou pela face desta terra que, apesar de ter morrido, ainda foi ressuscitado dentre os mortos e agora vive para sempre.

Como ele mesmo disse: “Estive morto, mas agora estou vivo para todo o sempre” (Revelação 1:18 )

Fotos: Google Imagens.
Fontes: Sites de Igrejas Católicas.
Jonei Bauer
O texto acima é de inteira responsabilidade de Jonei Bauer, não expressando necessariamente a opinião do Portal do Rancho.
Anúncios
 

Dia 28 de Fevereiro – Arcanjo Miguel / Purim

ruki

PURIM

Purim, celebrado em 14 de Adar, é o dia mais divertido, mais movimentado do ano judaico.

Há 2.400 anos, Haman, o primeiro-ministro da Pérsia, persuadiu o Rei Achashverosh a emitir um decreto ordenando o extermínio de todos os judeus. Mordechai, o líder dos judeus, reuniu seu povo, conclamando-o para que se unissem em preces e arrependimento. Enquanto isso sua prima Esther, que devido a uma milagrosa cadeia de eventos era a rainha de Achshverosh, persuadiu o rei a poupar o povo judeu. Achashverosh atendeu ao pedido, Haman foi enviado às galés, Mordechai se tornou primeiro-ministro, os judeus foram bem-sucedidos na defesa contra seus inimigos!

 Matanot Laevyonim

A preocupação com os necessitados é uma responsabilidade durante todo o ano, mas em Purim é uma mitzvá especial para lembrar.

Faça caridade, pelo menos, para duas (mas de preferência mais) pessoas carentes em Purim durante o dia, 1 de março.

A mitsvá é melhor cumprida, dando diretamente para os necessitados. Se, no entanto, não for possível encontrar pessoas carentes, colocar pelo menos duas moedas em uma caixa de caridade. Tal como acontece com os outros mitsvot de Purim, mesmo as crianças pequenas devem ser ensinadas a cumprir esta mitsvá.

NITHAEL

A FORÇA DO GÊNIO DO DIA – GÊNIO 54 – NITHAEL 

NUN YUD TAV

A MORTE DA MORTE

Este Gênio vibra nos dias 12/5; 24/7; 5/10; 17/12; 28/2.
O poder da morte não se limita ao corpo físico. O fim de uma amizade, a falência de um negócio, a dissolução de um casamento, tudo isto são expressões da morte.
Não se engane: toda vez que coisas boas acabam, o anjo da morte é a causa. Atacando a morte no nível mais fundamental, evitamos muitas das fatalidades que nos abatem. Estas letras são armas poderosas para fazer este ataque.
Cada vez que alguém focaliza este nome, o poder do anjo da morte é enfraquecido no mundo inteiro – até, por fim, acontecer a “morte da morte” e a imortalidade dominar.
Quando coisas boas estiverem ameaçando acabar, vibre este Nome com convicção e certeza completa no fim total do anjo da morte, de uma vez por todas!
Este Gênio está presente na Terra de 17:40 às 18:00.

Salmo 102

Este Gênio ajuda a obter a misericórdia de D’us e a longevidade. Protege os chefes de Estado, os presidentes, os monarcas, os Arcanjos e todas as pessoas que dedicam sua vida à religiosidade e à caridade. Favorece a continuação e a legitimação das famílias, estabilidade das empresas. Auxilia as pessoas que necessitam do socorro dos poderosos com favores e propicia uma existência correta e tranqüila.
Quem nasce sob esta influência será célebre por tudo que escrever e por sua eloqüência. Terá grande reputação, se distinguirá por seus méritos e virtudes, obtendo a confiança para ocupar cargos importantes tanto no governo como em empresas privadas. Será predestinado a assumir postos de comando, devido à sua ampla visão para entender as coisas e precaver do mal. Será a própria personificação do bem, da ordem, da justiça e da legalidade. Com personalidade forte, grande autoridade e prestígio, centralizará as funções angelicais na Terra. Dominará o campo espiritualista e metafísico. É dotado de uma faculdade que só as pessoas especiais possuem, consegue transformar em realidade qualquer coisa que queira. Defenderá com entusiasmo o bem contra o mal e será discreto quando fizer julgamentos ou oferecer orientação espiritualista. Será diferente desde criança, destacando-se por sua beleza e graça no andar, no vestir e no falar. Sua aura é resplandecente e sua regência é a da beleza e bondade.

Deve ser invocado em todas as nossas Orações pelo nosso País, já que ele trabalha diretamente com os Seres que se comprometem a servir a Humanidade quer seja na política ou na vida religiosa. Lembrando que todos precisam das nossas Orações .

 

1375257_739334109416254_1250749162_n

 

RITUAL DO ARCANJO MIGUEL

Queridos, nesta quarta dia 28 de Fevereiro às 18 hs, será realizado no TAOS Ritual do Arcanjo Miguel.

O RITUAL DO ARCANJO MIGUEL é uma Sessão que o TAOS realiza todo dia 29 de cada mês com a finalidade de nos conectarmos, através de invocações e apelos ao Arcanjo Miguel e sua Legião de Anjos de Luz, com a nossa Presença Divina Eu Sou e assim nos reconhecermos como seres Cósmicos atuantes neste plano. Este mês será excepcionalmente dia 28 de Fevereiro.

Será muito lindo e muito forte !

Esta Conexão Com Os Anjos nos Traz a Cura, Prosperidade, Equilíbrio, Amor e Acolhimento.

O Ritual é aberto ao público, tragam seus amigos, familiares….

Tragam flores, frutas, doces brancos.

Esperamos por vocês Sábado dia 29 às 18 hs. 
Endereço: Rua Carlos de Carvalho, 65 – Centro
( Próximo á Praça da Cruz Vermelha, fica na Rua do Colégio Cruzeiro)
Namastê!

Belisa do Arcanjo Miguel

 

QUARESMA – TEMPO DE RECOLHIMENTO

cinza

 

” A vida é como se fosse uma árvore de cabeça para baixo , na qual as raízes estão no céu e os ramos tocam a terra. Se você realmente busca a sua verdade terá de se agarrar nestes ramos e subir até suas raízes para descobrir o mundo das causas, pois nossa existência nada mais é que esta sucessão de raízes que vão se descolando de cima para baixo criando em seus padrões fixos toda a existência que nos rodeia .”

( Conceito de Ramos e Raízes – Judaica – Kabbalah)

 

Acabou o Carnaval e agora estamos a alguns dias da Páscoa. Até lá, estamos vivendo o período da Quaresma.

A Quaresma, como o nome já diz, é um período de 40 dias que tem início após as festas ditas profanas do carnaval, e se encerra no domingo de páscoa.

A tradição da Quaresma pode ser rastreada até ao século II. Durante este tempo, os novos cristãos se preparavam para o batismo jejuando e estudando. No ano 325 d.C., o tempo de preparação tinha sido estendido para 40 dias. Congregações inteiras, incluindo as já batizadas, praticavam as disciplinas da Quaresma como um sinal de discipulado cristão. Logo depois, a igreja determinou que o período de renovação da  Quaresma deveria corresponder ao jejum de quarenta dias de Cristo. Esses cristãos contavam quarenta dias retroagindo à Páscoa (excluindo os domingos), para determinar o período da jornada da Quaresma.

A Páscoa já existia antes de Cristo. Desde os primórdios, o povo que cultuava as estrelas, cultuava a Páscoa. Ela marca o equinócio da primavera.

Esotericamente, a Páscoa é o dia mais iluminado do ano. A passagem do Sol por Carneiro (Marte) simboliza o cordeiro de Deus e um tempo de elevação espiritual.

A Quaresma é um período em que Deus, em sua infinita bondade, perdoa a todos e cede a liberdade para espíritos trevosos. É um momento “escuro” em que devemos nos resguardar, jejuar e perdoar, pois os inimigos nos tentam todo o momento. Mas vale ressaltar que de nada adianta a abstinência se não mudarmos nossos pensamentos, palavras e atitudes.

Na Quaresma, temos a chance de nos limparmos de todo o profano, de toda tristeza, de toda mágoa existente em nossas vidas.

É o momento de pensarmos de onde viemos, lembrando do significado da palavra hebraica ADAMAH: pó da terra e Adam Kadmon, o homem feito à imagem semelhança espiritual do Pai, o homem feito de Luz!

Dai retornaremos, do pó das estrelas!

O que podemos fazer durante esta quarentena para que possamos ficar bem espiritualmente, viver bem o período da Quaresma?

  • Ore os Salmos 66, 91 e 119 e invoque a CHAMA VIOLETA diariamente antes de sair de casa para proteção espiritual.
  • Cuidado com os excessos (vícios ),ódio, pornografia, ganância, preguiça, mentira e gula. Evite assistir aos filmes de terror neste período.
  • Evite usar as cores escuras:
  • Evite comer carne vermelha (abstinência física). Mas não é somente abstinência física, mas também espiritual: sem brigas, discussões, conflitos, ou seja, jejum espiritual da mente.
  • Evite tomar bebidas alcoólicas neste período da Quaresma para não ficar suscetível às energias mais densas.
  • Às segundas-feiras, tome banho de sal grosso do pescoço para baixo para sua limpeza astral. Reserve 2 litros de água (temperatura ambiente) e adicione 2 colheres (sopa) de sal grosso. Misture bem e jogue do pescoço para baixo.
  • Tome muito cuidado com as palavras no período da Quaresma, fique distante de bares, de locais onde possam ocorrer, brigas. . Nesta época, as pessoas ficam mais sensíveis à maldade,
  • Quaresma é um período de paz, humildade, momento de revermos os conceitos da vida, momento em que devemos perdoar as desavenças e unirmos juntamente com a magia Divina!

Que o Cristo esteja presente no coração de todos!

Namastê!

 

 

 

 

 

Chama Violeta e Sessão Pública de Cura 15/02/18

 

 

 

chama violeta

 

Boa tarde!

Hoje teremos a meditação da Chama Violeta às 18h e Sessão Pública de Cura às 19h.

Rua Carlos de Carvalho 65 – Centro (Rua do Colégio Cruzeiro, próximo à praça da Cruz Vermelha.

Namastê

 

 
Imagem

Funcionamento Carnaval 2018

Funcionamento Carnaval

 

A LENDA DOS 36 TZADIKIM

 

Resultado de imagem para OS 36 TZADIKIM

Os Tzadikim Nistarim ou Lamed Vav Tzadikim (ל”ו צדיקים) são os 36 Justos, ou Pessoas Santificadas, segundo uma lenda judaica. Na gematria*, Lamed (ל) é a letra que representa o número 30 e Vav (ו), representa o número 6. Além disso, 36 significa “vida dupla”, por ser duas vezes o número 18, que é o valor numérico da palavra “vida” (חי). Tzadikim é o plural de “Justo” [“Justos”, portanto]. Desse modo, as “Pessoas Santificadas” são chamadas de “Os trinta e seis”. Também são denominadas Tzadikim Nistarim: “Justos Ocultos”, ou “Santos Ocultos”.

*Gematria, gemátria, guemátria ou guimátria é o método de análise das palavras bíblicas em hebraico pela atribuição de um valor numérico a cada letra. É conhecido como “numerologia judaica” e se aplica à exegese da Torá (Pentateuco). A cada letra do alfabeto hebraico atribui-se um valor numérico e, assim, uma palavra terá um valor que é o somatório das letras que a compõem. De acordo com seus valores, há letras comutáveis por outras. As escrituras podem, então, ser examinadas à luz do valor das palavras, e em sua relação com outras.*

Segundo a tradição do místico Judaísmo Hassídico ou “Chassídico”, bem como em outros segmentos, existem 36 seres humanos justos cujo papel na vida é justificar a existência da raça humana aos olhos de Deus.

A identidade dessas pessoas é desconhecida. Quando uma delas realiza completamente sua missão neste mundo, morre, e seu lugar é imediatamente assumido por outra pessoa.

O escolhido é, necessariamente, alguém que deve possuir o caráter necessário à condição de Tzadik. Porém, se Deus não encontrar sobre a Terra alguém bom, puro, humilde o suficiente para assumir o lugar do Tzadik morto, então, o mundo pode acabar no mesmo instante.

Os Lamed-Vav Tzadikim, são chamados Nistarim, “os ocultos” ou “os desconhecidos”. Em alguns relatos tradicionais, a condição de Nistarim, ou de agir anonimamente, é uma escolha, uma auto-imposição do Justo, que usa seus poderes místicos para prevenir desastres e/ou proteger pessoas ameaçadas ou perseguidas. No cotidiano, vivem discretamente, em posições de pouco destaque na comunidade. Em raras ocasiões, um deles é descoberto por acidente. O segredo não deve ser revelado.

Em outras versões, os lamed-vavniks desconhecem sua condição, e se uma pessoa alega ser um dos 36, essa pessoa certamente está mentindo, porque a principal virtude de um Nistarim é anavah [humildade], uma humildade tão sincera que o Nistarim nem chegaria a suspeitar de que é um dos 36 Justos.

Eles não se conhecem e são pessoas comuns. Sem saber, os Lamed Wufniks são os pilares secretos do universo. Se não fosse por eles, Deus aniquilaria toda a humanidade. Sem tomar conhecimento, evitam que o mal aconteça às pessoas à sua volta. Nunca se destacam na multidão, nem perdem seu anonimato.

Sem perceber, são nossos salvadores. Eles são os bodes expiatórios da humanidade. Na eventualidade de um Lamed Wufnik perceber sua importância, sua morte é certa: nenhum homem pode suportar nem 1/36 do peso do mundo.

Quando um deles sobe aos céus, seu estado é de congelamento total, e Deus precisa esquentá-lo por mil anos antes que sua alma possa se abrir ao Paraíso.

É dito que alguns continuam tão inconsoláveis em relação à humanidade, que nem Deus consegue esquentá-los. Então, de tempos em tempos, o Criador adianta o relógio do Último Julgamento em um minuto.

No século VII, judeus da Andaluzia (região no sul da Espanha) veneraram uma rocha com forma de lágrima. Eles acreditavam que a rocha era a alma de um Lamed Wufnik desconhecido, petrificada pelo sofrimento.

Esses 36 Justos, vivendo sobre a Terra, são uma espécie de garantia de salvação do mundo perante o julgamento de Deus. É por causa deles que o Criador permite a existência da Humanidade que degenera em barbárie de costumes. Essa situação remete ao episódio bíblico de Sodoma e Gomorra, quando Deus promete a Abraão que preservará a cidade de Sodoma se ali encontrar ao menos 10 homens justos.

O mito dos Lamed vaviniks encerra a possibilidade de que cada pessoa neste mundo pode ser um dos 36 Justos e pode agir como um deles, praticando a misericórdia e a oração pela salvação, pelo bem de toda a Humanidade. A tradição (Cabalah) diz, ainda, que um desses 36 Justos pode ser o Messias Judeu, se o mundo estiver pronto para a revelação de sua identidade. Esses Justos vivem e morrem como pessoas comuns.

A crença nos 36 Justos preenche, em boa medida, o culto aos santos e a outras personalidades, no judaísmo. O homem não precisa de intercessores celestiais, posto que o mundo recebe a Misericórdia através das ações dos Justos anônimos, desconhecidos, nunca revelados. Qualquer um pode ser um deles: o articulista deste texto, o leitor, ou mesmo alguém a quem todos consideram completamente desprovido(a) de qualquer mérito.

Parte de um post em Beni Yahweh, editada e um pouco modificada.
Tradução – pesquisa & adaptação: Ligia Cabús
 

2017 – 2018 / Conselho Cármico

31 DE DEZEMBRO DE 2017
                                                              Gênio 68 – HABUHIAH
                                                  CONTATANDO ALMAS QUE PARTIRAM

wwb_img6
O homem é uma combinação de dois elementos diversos: corpo e Alma.
A Alma é a verdadeira razão de nossa existência.
É esta centelha Divina que se constitui na essência de nossa vida interior.
Apesar de ser o homem composto de matéria e espírito, seu corpo é somente o invólucro material dessa Faísca Divina.
Além disso, é a Alma que reflete diretamente nossa relação com D’us, pois, como está escrito, “a chama de D’us é a Alma do homem” (Provérbios, 20:27).
Podemos comparar a Alma à chama de uma vela. Quando acesa, sobe, percorre o ar, mas o pavio a puxa de volta à terra. Da mesma forma, enquanto a Alma está em constante movimento ascendente, em direção a D’us, o corpo, com suas exigências físicas, a retém neste plano físico.
Uma pessoa plena e saudável é aquela em quem Alma e corpo convivem unidos, em perfeita sintonia; é aquela que consegue atingir uma harmonia entre o seu lado material e o espiritual, alguém que consegue levar uma vida espiritualmente significativa e, ao mesmo tempo, produtiva.
Está escrito na Torá: “A força vital da carne está no sangue” (Levítico, 17:11).
A força vital da Alma está em nossos pensamentos e sonhos.
Por isso, neste último dia do ano de 2017, vamos nos conectar com às Centelhas de Almas desses grandes Seres que partiram para nos conduzir neste plano rumo à ascensão para que possamos cumprir esta nossa jornada terrena com MAESTRIA e EXCELÊNCIA.
Assumimos um compromisso Iniciático frente ao Conselho Cármico e o Anjo do esquecimento nos retirou toda lembrança desse ato, mas a nossa Alma têm plena lembrança e responsabilidade e junto ao nosso Anjo do Registro nos dá acesso a todas as ferramentas que estão contidas no Registro Akáshico para que possamos fazer a diferença.
O grande Mestre Cabalista Rabi Moshé Cordovero nos lembra que “nossa Alma é como a chama de uma vela, que pode acender muitas outras sem que sua própria flama se veja diminuída”…vamos lembrar disso ao escrever a Carta ao Conselho Cármico.
Um FELIZ 2018 com muita Paz, Harmonia, Tranquilidade, Amor e Equilíbrio para toda a Humanidade tão carente de PHATAE!

jean-luc-bozzoli

                                                   RITUAL DO CONSELHO CÁRMICO

Nos dias  31/12 31/03, 30/09 e 30/06, o Conselho Cármico se reúne para avaliar o carma do planeta inteiro. Faz um retrospecto do trimestre que se encerra e toma decisões para o próximo trimestre.

 O Conselho Cármico, formado por seres de luz que amparam a humanidade nestes momentos de transformações, reúne-se 4 (quatro) vezes ao ano junto à presença Eu Sou de todas as pessoas encarnadas na Terra e juntas escolhem seus destinos para os próximos 3 meses. Quando uma pessoa morre, ela pode fazer essa transição de duas maneiras: ou consciente (sentindo-se “despregar” do corpo físico e entrando num túnel, seguindo uma luz ou até, mesmo encontrando um guia) ou então inconsciente, quer dizer, dormindo.

Se a pessoa chega do “outro lado” acordada, logo ela se defronta com um Mensageiro da Luz, que lhe entrega uma convocação para comparecer ao tribunal do Carma no dia tal, às tantas horas. Até esse dia, ela será encaminhada a uma “colônia de férias” astral, digamos assim. Por outro lado, se estiver dormindo, vai continuar descansando por um prazo que varia de pessoa para pessoa, mas que não pode ultrapassar seis meses; ao acordar, também receberá a intimação para comparecer ao Tribunal.

O Conselho Cármico é um Tribunal de Justiça;

Todos os Mestres são Ascensionados, o que significa que são seres de absoluta Misericórdia, Amor e Justiça. Diante desses Seres Perfeitos, a pessoa é levada a avaliar toda a sua última vida, desde o nascimento até a morte.

Tomará consciência de seus erros e acertos, das lições que assimilou e das que ainda tem que aprender; quais são suas principais virtudes e também as dificuldades ou defeitos que terá que superar.

Ouvirá do Conselho Infalível a Sentença; qual é realmente a sua faixa vibratória e, daí, em que país, cidade e grupo do Astral deverá permanecer até a próxima encarnação; que escola deverá frequentar, que tipo de treinamento deverá ter; que trabalhos terá que executar; quanto tempo ficará desencarnado; quem serão seus pais e familiares na próxima encarnação; quais serão suas futuras características raciais e nacionalidade.

Uma alma mais evoluída ouvirá essa sentença compreendendo que o carma não é uma lei de retaliação, mas, sim, de educação, e que o Conselho Cármico é o órgão legítima e divinamente capacitado para julgar e dar novas oportunidades de evolução.

Assim como o Conselho Cármico julga e administra o carma individual, ele também o faz com relação ao carma familiar, grupal, nacional e planetário. Ministra sanções e anistias. Se for preciso pelos desígnios cármicos, o Conselho autoriza cataclismos e desastres coletivos. Pode abreviar ou prolongar a vida dos encarnados.

Aproveite este dia para estabelecer seu compromisso interno com sua verdade e força vital projetando assim no mundo externo o potencial da sua alma. Felicidade, Harmonia, Saúde, Abundância, Realizações.

Nesses dias especiais, os discípulos da Luz podem apresentar a esses Divinos Juízes sua petição ou projetos que, se forem considerados dignos e úteis à Vida, serão autorizados – e aí os autores receberão uma ajuda direta (seja ela qual for) do Conselho para realizá-los.

Quando conquistarmos a vitória da manifestação de nosso plano divino e consumirmos o nosso carma negativo, iremos então ter com a Presença do Eu Sou, o Amado Santo Cristo Pessoal (o nosso Eu Superior) e o Conselho do carma, que decretarão o direito de libertarmo-nos da roda viva das   reencarnações.

 

Conselho-Cármico4

FAZEM PARTE DO CONSELHO CÁRMICO:

  •  PÓRTIA: Justiça e Oportunidade – é o Complemento do Mestre Saint Germain
  • Mestra Nada: Amor Devocional e Gratidão
  • Kwan Yin: Misericórdia e Compaixão
  • Libra: Equilíbrio
  • Palas Athena: Verdade
  • Elohim Vista: Ciência, Concentração e Cura
  • Saithru: Ser responsável pela sétima raça raiz da humanidade terrestre
  • Arcanjo Miguel: Fé, Proteção, Vontade Divina
  • Irmãos Interdimensionais e Interplanetários: Energia eletromagnética que facilita a manifestação de nossos sonhos.

carta-o-livro-delas

É NECESSÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DO SEU RITUAL:

1 vela branca

1 copo d’água

1 folha de papel branco

1 incenso de sândalo

1 lápis

rituais-velas

                                                                     RITUAL

Em um papel branco, escreva a lápis a data, seu nome de solteiro (nome de batismo), e data de nascimento.

“Em Nome de Minha Bem Amada e Poderosa Presença Eu Sou o Que Sou!”

Em Nome do Meu Bem Amado Santo Ser Crístico Presente em meu Coração peço pela Paz e Cura Universal!”

Logo em seguida agradeça, agradeça e agradeça por tudo de bom e tudo de negativo que ocorreu durante os últimos 3 meses.

Em seguida faça todos os seus pedidos ao Conselho Cármico.

Dobre o papel e faça a oração “A Grande Invocação”. Ao terminar, guarde a carta em uma bíblia, e deixe até o próximo Conselho Cármico.

Não se esqueça de queimar a carta do último Conselho Cármico na vela que você acabou de acender.

A GRANDE INVOCAÇÃO

 DO PONTO DE LUZ NA MENTE DE DEUS,

QUE FLUA LUZ À MENTE DOS HOMENS,

E QUE A LUZ DESÇA A TERRA.

O PONTO DE AMOR NO CORAÇÃO DE DEUS, QUE FLUA AMOR AO CORAÇÃO DOS HOMENS QUE O CRISTO RETORNE A TERRA.

DO CENTRO A ONDE À VONTADE DE DEUS É CONHECIDA, QUE O PROPÓSITO GUIE AS PEQUENAS VONTADES DOS HOMENS, PROPÓSITO QUE OS MESTRES CONHECEM E SERVEM.

DO CENTRO A QUE CHAMAMOS À RAÇA DOS HOMENS QUE SE REALIZE O PLANO DE AMOR E LUZ E FECHE A PORTA ONDE SE ENCONTRA O MAL.

QUE A LUZ O AMOR E O PODER RESTABELEÇAM O PLANO DIVINO SOBRE A TERRA

HOJE E POR TODA A ETERNIDADE, QUE ASSIM SEJA  AMÉM.

É bom sempre lembrar que TODOS SOMOS UM SÓ!!!

FELIZ 2018

Namastê!

Belisa do Arcanjo Miguel